CL
CURSO ANTERIOR
PRÓXIMO CURSO

A ORALIDADE COMO BASE DA EDUCAÇÃO

com François Moïse Bamba (Burkina Faso)


PERÍODO DO CURSO

17 E 18 JUN


As histórias são um elemento fundamental na aprendizagem da vida. Saber contá-las, mas também ouvi-las: a partir de si mesmo, do outro e do espaço é essencial para qualquer artista, mediador, contador ou educador.

A oficina que estreia agora na CAL apresenta as tradições orais e o processo de escuta que permeiam a cultura e os valores essenciais das sociedades do Oeste da África.

Nesta vivência, vamos viajar pelo rico patrimônio das sociedades de tradição oral africanas, conhecendo alguns de seus fundamentos essenciais. O público será convidado à experimentação e partilha através de algumas dinâmicas em torno da arte de contar, dos repertórios tradicionais e da busca da palavra pessoal de cada um.

[ Tradução por Laura Tamiana ]

 

• • •
observações
A partir de 16 anos.
Ao preencher a Ficha de Inscrição, leia atentamente o Regulamento.
No término do curso, o Certificado de Frequência será fornecido ao aluno que cumprir, no mínimo, 75% da sua carga horária.


François Moïse Bamba . É contador de histórias e ator. Pertence a casta dos ferreiros, os mestres do fogo e do ferro. Foi iniciado na arte do conto por seu pai e criado em estreita relação com a tradição da cultura e da arte griot do Burkina Faso. Coletou e reescreveu numerosos contos do Burkina Faso, alguns deles dando origem a CD, DVD e livros publicados na França. Em seus mais de 20 anos de carreira, tem circulado o mundo com suas apresentações, que são um convite a mergulhar na riqueza das culturas de tradição oral da África do Oeste. Depois de ter dirigido por mais de 20 anos o Festival de contos Yeleen, criou e realiza em seu país anualmente o Festival Internacional dos Patrimônios Imateriais – transmissão de saberes e fazeres antigos.

Em circulação no Brasil, suas apresentações e demais atividades contam com a tradução em cena da artista Laura Tamiana, com quem trabalha em parceria desde 2017. Juntos criaram Ba-kô Burkina Brasil, uma ponte artístico-cultural entre as culturas brasileiras e as culturas da África do Oeste, pela porta do Burkina Faso

Essa experiência de fina sintonia entre os dois artistas transformou a barreira linguística em um atributo a mais de conexão com a plateia e deu início a uma parceria que segue em desenvolvimento com atividades no Brasil e no Burkina Faso, num diálogo entre suas culturas. Desde então a dupla já realizou mais de 70 apresentações, além de conferências, oficinas, projetos de residência e intercâmbio, entre outros projetos.

“A África é parte tão fundamental da nossa história como Brasil, e apesar disso está ainda tão pouco acessível para nós. Sinto que esse contato atual, que pode acontecer através da arte, é algo extremamente curador para nós, como indivíduos, como povo… Algo que nutre, preenche, reconhece, liberta.”, relata Laura, que além da tradução cuida da produção do artista no Brasil. As turnês do artista já passaram pelos estados de Pernambuco, São Paulo, Ceará, Bahia, Rio Grande do Norte, Minas Gerais, Alagoas, Maranhão, Paraíba e Rio de Janeiro.

François Moïse Bamba . É contador de histórias e ator. Pertence a casta dos ferreiros, os mestres do fogo e do ferro. Foi iniciado na arte do conto por seu pai e criado em estreita relação com a tradição da cultura e da arte griot do Burkina Faso. Coletou e reescreveu numerosos contos do Burkina Faso, alguns deles dando origem a CD, DVD e livros publicados na França. Em seus mais de 20 anos de carreira, tem circulado o mundo com suas apresentações, que são um convite a mergulhar na riqueza das culturas de tradição oral da África do Oeste. Depois de ter dirigido por mais de 20 anos o Festival de contos Yeleen, criou e realiza em seu país anualmente o Festival Internacional dos Patrimônios Imateriais – transmissão de saberes e fazeres antigos.

Em circulação no Brasil, suas apresentações e demais atividades contam com a tradução em cena da artista Laura Tamiana, com quem trabalha em parceria desde 2017. Juntos criaram Ba-kô Burkina Brasil, uma ponte artístico-cultural entre as culturas brasileiras e as culturas da África do Oeste, pela porta do Burkina Faso

Essa experiência de fina sintonia entre os dois artistas transformou a barreira linguística em um atributo a mais de conexão com a plateia e deu início a uma parceria que segue em desenvolvimento com atividades no Brasil e no Burkina Faso, num diálogo entre suas culturas. Desde então a dupla já realizou mais de 70 apresentações, além de conferências, oficinas, projetos de residência e intercâmbio, entre outros projetos.

“A África é parte tão fundamental da nossa história como Brasil, e apesar disso está ainda tão pouco acessível para nós. Sinto que esse contato atual, que pode acontecer através da arte, é algo extremamente curador para nós, como indivíduos, como povo… Algo que nutre, preenche, reconhece, liberta.”, relata Laura, que além da tradução cuida da produção do artista no Brasil. As turnês do artista já passaram pelos estados de Pernambuco, São Paulo, Ceará, Bahia, Rio Grande do Norte, Minas Gerais, Alagoas, Maranhão, Paraíba e Rio de Janeiro.

- Leia Menos

Carga horåria

6 horas

HORÁRIO

15h - 18h
2ª e 3ª

VALOR

R$360,00

Pagamento em até
2x de R$180,00 ou
à vista no boleto

LOCAL

Unidade CAL Glória
Rua Santo Amaro 44

INSCREVA-SE AQUI

Cursos relacionados


    As inscrições para este curso estão fechadas.

    Tenho interesse! Quero ser informado.



    Veja também